sexta-feira, 11 de dezembro de 2015




JORNADA PEDAGÓGICA
Andrea Janine Schefer
Dalva Kersting
Inês Bernadete Sartori

Escola Estadual de Educação Básica Poncho Verde

Escola é um espaço de aprendizado de transformação de circulação de gente e promovedor de mudanças constantes.  Espaço este, que já não deve ser encarado como um ambiente fechado e triste, mas sim, como um lugar ativo, atrativo e prazeroso, alimentado numa perspectiva de que educação se faz numa ação cooperativa e num espaço de promoção para a criatividade.
Vivemos num mundo contemporâneo onde compreender e ensinar precisa perpassar a articulação entre  os  saberes, para que os mesmos  contribuam de forma significativa para a construção contínua das competências do professor(a).
 A formação continuada é de suma importância, pois possibilitou momentos de reflexão e discussão das temáticas relacionadas ao contexto escolar e aos documentos internos que norteiam a escola (Regimento Escolar e o Projeto Politico Pedagógico), cujo objetivo maior é garantir uma educação de qualidade.  Neste sentido, construímos metas comuns e alternativas viáveis que intervenham na realidade escolar, analisando e avaliando o que fora feito e assim projetando mudanças.
Outro tema relevante foi rever nossos hábitos e necessidades, reafirmando a responsabilidade para melhoria da qualidade de vida, pautada num trabalho de conscientização e sensibilização. Para que assim, todos os envolvidos no processo educacional possam ter o bom senso em preservar um ambiente saudável e atuarem de modo responsável e consciente,  numa perspectiva não só do presente, mas do futuro.
Acreditamos que ressignificando este processo no cotidiano, possamos construir valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a convivência harmoniosa, conservando o ambiente, a qualidade de vida e sua sustentabilidade. Conscientes de que o paradigma da sustentabilidade implica na construção de novos valores, conhecimentos e aprendizagens, e que nos traz a luz à possibilidade de garantir mudanças socioeconômicas e melhoria da qualidade de vida de todos os envolvidos.
 Uma nova proposta de sociabilidade da comunidade escolar nasce, despertando a conscientização da preservação do patrimônio escolar, bem como do espaço publico da escola. Para tanto, é preciso refletir sobre suas consequências, propondo ações coletivas e individuais para preservação deste patrimônio que é essencial para a educação e desenvolvimento de uma prática de cidadania, com o incentivo dos gestores neste processo. Assim, na busca de aproximar o ambiente escolar do desenvolvimento das competências, a inclusão das mesmas precisa ser intencional, garantindo um trabalho coletivo e um aprimoramento antes e após os períodos escolares.
O papel da escola não pode se restringir apenas às competências, mas as habilidades sociais que precisam ser desenvolvidas. Dentre elas destacamos a  criatividade,  espirito inovador e colaborativo, abertura a novas ideias e os desafios. Essas habilidades devem ser consideradas desde o inicio da vida escolar até o seu término, através de um trabalho constante e de desenvolvimento crescente estimulando a evolução. Assim, quando os alunos deixarem a escola e ingressarem no mercado de trabalho, se sentirão  ais preparados e seguros.
Este trabalho de construção tem  o papel de definir melhor os critérios de observação dessas habilidades e utilizar esses indicadores para orientar a atuação  docente. Para que haja harmonia no ambiente escolar e a mesma se dissemine, o reconhecimento de um espaço de informação, interação e entretenimento e produtividade precisam estar pautados em uma ação pedagógica.
Na vivência de um mundo cheio de precariedades e urgências, a responsabilidade pelo ensino parece estar dispersa, mas há uma grande preocupação e as demandas são muito grandes. Na passagem do novo milênio, do novo século que se afirma, sublinha-se uma grande crise de significados da vida humana, das relações entre pessoas, instituições e comunidades.
Assim sendo, encontra-se no campo da educação a perspectiva de uma ressignificação da ciência do ensinar e, o desafio constante é o de articular os saberes e capacidades, trabalhando de forma interdisciplinar encontrando o equilíbrio e redescobrindo o afeto no espaço pedagógico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário