terça-feira, 22 de dezembro de 2015





REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Ângela Linck de Jesus
Assessora da Área das Linguagens (Línguas Estrangeiras)
36ª CRE

Questões sobre mídia, comunicação e cultura não são novos na escola. Embora estes assuntos não sejam tratados como um componente curricular específico, eles vêm sendo  trabalhados na sala de aula há várias décadas. Este contexto de difusão midiática e uso da tecnologia na educação, teve seu desenvolvimento acelerado principalmente com a popularização da Internet, extrapolando o ambiente on-line e físico-presencial. Assim, surge a questão: Como estes assuntos estão sendo vivenciados e/ou trabalhados no ambiente escolar, na sala de aula e como recurso pedagógico ?
Das minhas vivências na escola e agora, mais especificamente, enquanto Coordenadora Pedagógica das Línguas Estrangeiras, na 36ª Coordenadoria Regional de Educação, observo que ocorreram avanços nos últimos tempos, tanto na oferta de cursos e materiais, quanto na procura e no interesse dos professores em conhecer, aprender e utilizar as mais diversas mídias e tecnologias no seu fazer pedagógico.    
Isso se confirmou, nos apontamentos deixados pelos professores que participaram da formação continuada desta Coordenadoria de Educação nos  últimos anos. Ficou explicito em suas falas o interesse e a necessidade de formação prática e metodológica para trabalhar com os alunos na sala de aula. Estes profissionais também solicitaram  a “preparação”  para o “uso crítico e consciente das mídias”, SIQUEIRA (2008), a instrumentalização para desenvolver aulas mais dinâmicas, criativas e interessantes a fim de despertar nos alunos o interesse através de aprendizagem significativa.
Com base nestes relatos foi desenvolvido no segundo semestre de 2015 o Projeto de Formação Continuada dos professores da Área das Linguagens da Rede Estadual de Ensino, unindo o Núcleo Pedagógico e o Núcleo de Tecnologia da Educação (NTE). Primeiramente foram oferecidas as oficinas de Fanzine, Stop Motion e Vídeo Aula.
Temos conhecimento que ainda há muito para avançar, que algumas escolas ainda precisam fazer uma avaliação e leitura crítica das mensagens deixadas pelos alunos e pela sociedade. Que é necessário fazer a seleção de material pensando no aluno como sujeito com capacidade e necessidade para transformar-se em um cidadão. 
Neste sentido, acreditamos que a formação continuada de professores, gestores, funcionários é o meio pelo qual podemos colaborar para que ocorra a melhoria na educação, sempre  com foco no tempo e espaço da escola e do aluno.



Nenhum comentário:

Postar um comentário