terça-feira, 22 de dezembro de 2015






FORMAÇÃO CONTINUADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2015

Ivana Pietrzak de Lucena
Escola Estadual de Ensino Fundamental Giovana Margarita
Vila Floresta

Sabendo que uma das funções do professor é zelar pela aprendizagem dos estudantes e diante de um mundo cercado de inovações, de constantes mudanças, cabe aos educadores saber orientar, reconstruir seus fazeres pedagógicos, ir além dos saberes específicos de suas áreas de conhecimento.
Para isso, atualmente, exige-se um professor que não tenha somente habilidades cognitivas. É necessário escolher metodologias que provoquem a curiosidade, o desejo de aprender. Com o avanço do mundo digital e das mídias em geral, precisamos nos tornar aptos a lidar com essas novas linguagens, que tanto atraem crianças e adolescentes. Daí ser de suma importância a formação continuada proposta pela 36ª CRE neste ano, pois para atender as demandas que surgem na sala de aula são imprescindíveis formações práticas e voltadas aos interesses de nossos educandos.
As oficinas frequentadas neste semestre serviram para instrumentalizar o professor para que torne suas aulas mais atraentes. Junto com a máquina, que tanto os alunos gostam, é possível pesquisar, ler, escrever e falar sobre, o que hoje é um dos nossos maiores desafios enquanto mediadores do estudo da língua. Um exemplo disso foi “Fanzine”, que permitiu desenvolver várias habilidades. Também foi relevante a explanação de projetos que já estão acontecendo em escolas, nos mostram que pela educação, muitas mudanças são possíveis.
Creio que nossas formações devem, principalmente, seguir associadas à discussão de técnicas, de formas e materiais para atuarmos, que proporcionem aulas mais dinâmicas e que resultem em acréscimo de conhecimento aos educandos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário